sábado, 15 de agosto de 2009

Sete Bandas Gregas de Heavy Metal

Os gregos antigos abominavam a desmesura, ou seja, tudo que contrariava a busca do equilíbrio apolíneo ,das linhas harmônicas, na estética e na moral. A atitude mais reprovável que um grego podia cometer era denominada hybris, falta de equilíbrio, que compreendia orgulho exarcebado, presunção, arrogância, o fato de desejar mais daquilo que lhe foi concedido pelo destino. Ideal era buscar a areté, que significa mérito ou qualidade pelo qual algo ou alguém se mostra excelente.

Estas virtudes também estão presentes na contribuição dos gregos para a música pesada.

Abaixo estão sete bandas gregas de heavy metal, na ordem de descobrimento, ou seja, a primeira banda grega que conheci foi o Varathron, com o álbum abaixo. A mais recente é o Zemial, com o álbum In Monumentum, que é o único que conheço até agora, aliás excelente. A excelência serviu de guia para as escolhas, qualidade sonora e beleza das capas. O estilo predominante é o Death / Black Metal, com elementos Doom e Gothic. Som extremo que envolve excelente trabalho das guitarras e das baterias unido ao violão acústico e nos arranjos, coros e instrumentos étnicos do Mediterrâneo e Oriente Médio. Essa mestiçagem parece ser a marca do metal grego. Ecos profundos do Bathory são ouvidos na Theogonia do Rotting Christ, nos álbuns de Kawir, Varathron e Zemial. Influência também sentida em Astarte, Nightfall e Septic Flesh. Este último realiza experimentos com música erudita e a eletrônica/industrial em seus trabalhos. Salvo engano, o Nightfall parece ter encerrado atividades. I am Jesus é o seu melhor disco. Sirens consolidou o death/black sinfônico das mulheres do Astarte, lideradas por Tristessa.
A temática seguida é formada por temas mitológicos, épicos, crítica religiosa, terror lovecraftiano e aspectos sombrios da condição humana. Enorme poder de evocação de climas arcaicos, oníricos, paisagens do Mediterrâneo e Oriente antigos, quando a humanidade era mais jovem, áspera e ao mesmo tempo idealizadamente pura. Juntamente como a música medieval/renascentista e barroca constitui a minha trilha sonora para quando sou acometido de tristeza, dor, desespero ou aborrecimentos da faina diária.


VARATHRON - Walpurgisnacht [1995]





ASTARTE - Sirens [2004]




ROTTING CHRIST - Theogonia [2007]





NIGHTFALL - I am Jesus [2003]






SEPTIC FLESH - Ophidian Wheel [1997]




KAWIR - To Cavirs [1997]




ZEMIAL - In Monumentum [2006]




6 comentários:

HCMichele disse...

Ai meus Deuseees! Achei que apenas eu fosse viciada nesse tipo de música!
Adorei a sua seleção!
Beijos

MARCELO disse...

Obrigado Michele.

Você pode baixar estes e outros álbuns no blog Greek Metal, cujo link está disponível nos meus Links Interessantes.

Abraço

Jorge Campos disse...

Estou totalmente de acordo com suas observações, Marcelo, parabéns pelo ótimo gosto musical e a consequente seleção de clássicos do metal extremo helênico.

MARCELO disse...

Caro Jorge, obrigado por suas palavras e bem vindo ao blog.

Hiago Fenix disse...

Você não é unica Michele, parabens Marcelo ótimas observações sou apaixonado pela Grécia e por rock por isso sempre estou a procura de boas bandas gregas.

MARCELO disse...

Hiago, muito obrigado pelo seu comentário. Em breve o blog retornará com toda força e o metal helênico terá lugar de destaque.